Indicadores de Qualidade, e as Ferramentas de Avaliação

Indicadores de Qualidade, e as Ferramentas de Avaliação

indicadores


No post anterior, falamos de como a qualidade interfere nos serviços e em como sua instituição é vista pelo mercado e pelo consumidor.
Medir a qualidade e os processos nos serviços de saúde é indispensável para o planejamento das atividades desenvolvidas, sendo a mensuração dos resultados, dos processos e da estrutura necessária, bem como as influências e repercussões promovidas no meio ambiente uma tarefa fundamental na busca da qualidade como valor agregado.
INDICADORES
Um Indicador é uma unidade de medida que é usada como um guia para monitorar e avaliar a qualidade de cuidados e dos serviços ao paciente e também dos processos. Um indicador não é uma medida direta de qualidade, ele apenas dirige a atenção para os resultados de uma área que devem ser motivo de uma revisão ou melhora.
Um indicador pode ser uma taxa de ocorrência, um índice, um número absoluto ou um fato.
-Taxa/coeficiente é o número de vezes que um fato ocorreu dividido pelo número de vezes que ele poderia ter ocorrido, multiplicado por uma base e definido no tempo e no espaço. Por exemplo, para mortalidade geral a base é 1.000, para indicadores específicos de mortalidade é 100.000, bem como para outras situações pode ser 100, como para infecção hospitalar e letalidade.
-Índice é a relação entre dois números ou a razão entre determinados valores, tendo como exemplo o índice de giro ou de rotatividade dos leitos e camas.
-Números absolutos podem ser indicadores, à medida que se comparam valores iguais, maiores ou menores a ele, resultantes de atividades, ações ou estudos de processos, resultados, estrutura ou meio ambiente.
-Fatos, por sua vez, demonstram a ocorrência de um resultado benéfico ou não, como por exemplo um sangramento inesperado, uma reação alérgica, uma não conformidade ou outro resultado qualquer adverso ou não.
Nas gestões focadas em qualidade total, além de serem utilizados nos programas de qualidade, indicadores são importantes na condução de outros processos como os de Acreditação Hospitalar, Seis Sigma e nas Certificações pela ISO 9000.
TIPOS DE INDICADORES
Indicadores de Meio Ambiente ou Meio Externo, são aqueles relacionados às condições de saúde de uma determinada população, a fatores demográficos, geográficos, educacionais, socioculturais, econômicos, políticos, legais e tecnológicos e existência ou não de instituições de saúde.
Os de Estrutura dizem respeito à parte física de uma instituição, os seus funcionários, instrumentais, equipamentos, móveis, aspectos relativos à organização, entre outros.
Indicadores de Processos são as atividades de cuidados realizadas para um paciente, freqüentemente ligadas a um resultado, assim como atividades ligadas à infraestrutura para prover meios para atividades-fins como ambulatório/emergência, serviços complementares de diagnóstico e terapêutica e internação clínico cirúrgica para atingirem suas metas. São técnicas operacionais.
Os de Resultados são demonstrações dos efeitos consequentes da combinação de fatores do meio ambiente, estrutura e processos acontecidos ao paciente depois que algo é feito (ou não) a ele, ou efeitos de operações técnicas e administrativas entre as áreas e subáreas de uma instituição.
Indicadores para Eventos Sentinela – são um instrumento que mede o quanto é sério, indesejável, e freqüentemente o quanto pode ser evitável um resultado nos cuidados prestados ao paciente: revisão de casos individuais dirigida para cada ocorrência.
ATRIBUTOS NECESSÁRIOS PARA OS INDICADORES
– Validade – o grau no qual o indicador cumpre o propósito de identificação de situações nas quais as qualidades dos cuidados devem ser melhoradas.
-Sensibilidade – o grau no qual o indicador é capaz de identificar todos casos de cuidados nos quais existem problemas na atual qualidade dos cuidados.
-Especificidade – o grau no qual o indicador é capaz de identificar somente aqueles casos nos quais existem problemas na qualidade atual dos cuidados.
-Simplicidade – quanto mais simples de buscar, calcular e analisar, maiores são as chances e oportunidades de utilização.
-Objetividade – todo indicador deve ter um objetivo claro, aumentando a fidedignidade do que se busca.
-Baixo custo – indicadores cujo valor financeiro é alto inviabilizam sua utilização rotineira, sendo deixados de lado.
É importante conhecer os indicadores e a quem se destinam -, cliente interno ou externo, creditação, certificação, avaliação de qualidade- para a elaboração adequada que sirva a seus propósitos. Estes critérios lógicos já fazem parte das cartilhas de acreditação e das principais certificações nacionais e internacionais como HIMSS, ONA, JCI, e ISO 9000.
exemplos de indicadores

Comentários

Veja mais

Contatos e canais de contratação nos Hospitais

MANUAL DE INDICADORES DE HOTELARIA HOSPITALAR e CADERNO DE PROCESSOS E PRÁTICAS DE HOTELARIA HOSPITALAR

Vagas disponíveis para trabalhar no Hospital Erastinho - Curitiba