REDUÇÃO DO TEMPO DE INTERVALO DE SUBSTITUIÇÃO DO LEITO HOSPITALAR

A finalidade deste estudo foi demonstrar os benefícios da utilização da metodologia Lean Six Sigma, para melhoria do processo de intervalo de substituição do leito hospitalar, identificando as etapas que agregam valor para o cliente de acordo com a análise de fluxo.

Tendo como objetivo eliminar todas as formas de desperdício da cadeia de valor, para promover gestão orientada para o processo, apontando os aspectos e desafios do planejamento e logística do mesmo, bem como comparar os indicadores ao observatório Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados) utilizada como bechmarketing de melhores práticas e um referencial externo a instituição.

Caracterizou-se essa pesquisa como um estudo de caso, exploratório e descritivo aplicado a conclusão do curso de formação Green Belt (Guemba Group).

Conclui-se, portanto, que o hospital objeto do estudo, melhorou sua performance em 40,84% tornando esse processo robusto e bem monitorado, atingiu o nível 6 sigmas do processo, alcançou-se o resultado favorável na esfera financeira, pelo maior giro do leito hospitalar, redução de desperdícios e otimização de recursos humanos e materiais.

Dessa forma pôde-se garantir que o processo finalístico que é cuidar do paciente, tivesse melhora na geração de valor, acontecendo com qualidade e refletindo a importância da profissionalização da gestão hospitalar para atingir os resultados esperados.

Baixe O Artigo na íntegra


Resultados

  • O indicador de substituição do leito melhorou sua performance em 40,84%
  • o giro de rotatividade leito hospitalar aumentou, que resultou na eliminação dos desperdícios, otimização dos recursos materiais e financeiros da instituição.
  • a instituição estudada superou o seu Benchmarking referencial externo (Anaph), obtendo melhor resultado no intervalo de substituição do leito que era o objetivo do projeto.
  • Nível Sigma foi alcançado o índice 6 sigmas = 99,97 % de assertividade no processo de liberação dos leitos realizados dentro da meta de 120 min após a alta hospitalar,
  • o nível de DPMO (Defeitos por Milhão de Oportunidades) ficou em 3,4 erros obtidos e ganho operacional ficou em 98,5%.
  • promoveu a necessidade de evolução do processo com a inserção de uma ferramenta tecnológica. O Sistema Voice de Gerenciamento de Leito, solucionou os problemas de comunicação, rastreabilidade, liberação do leito imediatamente a cada etapa e atividade finalizadas de forma sistêmica. O que tornou as informações seguras e ações foram se desdobrando de acordo com a evolução dos dados.
  • Saímos de um cenário onde não se tinha medida, e nem processo definido, tempo de espera para liberação do leito poderia demorar até 9h00 para ser finalizado, e após esse trabalho realmente se viu o ganho, alcançou-se o nível 6 sigmas com 1h20 do leito liberado, a padronização do processo, gerenciamento, medição e acompanhamento sendo realizados por um setor responsável a Hotelaria Hospitalar.


Autora

Janaína Reis
Administradora na 
Janaina Reis Consultoria

Compartilho com vocês meu novo artigo que escrevi, após rever o projeto de Green Belt que executei, e como os resultados alcançados com metodologias Lean Six Sigma são importantes principalmente no nosso cenário atual que compreende demandas muito altas de disponibilidade de leitos e recursos hospitalares, me senti motivada a poder contribuir com melhoria da performance do gerenciamento do leito hospitalar. hashtaghashtaghashtag
hashtag

Comentários

Veja mais

Contatos e canais de contratação nos Hospitais

MANUAL DE INDICADORES DE HOTELARIA HOSPITALAR e CADERNO DE PROCESSOS E PRÁTICAS DE HOTELARIA HOSPITALAR

O que é Protocolo de Manchester?