A tecnologia vai atropelar o setor da saúde?


Em meados de fevereiro, estive em Orlando para participar da HIMSS Global Conference & Exhibition. Com mais de 45 mil visitantes e expositores, originários de 90 países, o evento apresentou as principais tendências que vão impactar o setor da saúde nos próximos anos.
É claro que muito do que presenciamos durante o Congresso não será implantado do dia para a noite – e grande parte sequer chegará a esse ponto. Mas a minha visita coincidiu com discussões que ocorriam aqui no Brasil sobre o impacto da tecnologia na relação entre os profissionais de saúde e seus pacientes.
Ficou claro para mim que o ponto central do debate estava equivocado: não precisamos mais nos preocupar com a mudança dessa relação porque ela já mudou – e isso vai se intensificar nos próximos anos. Temos que investir recursos e energia para aproveitar ao máximo essa evolução, de forma construtiva e ética.
Atualmente, a principal preocupação na área da tecnologia voltada para a saúde está no desenvolvimento de ferramentas que promovam o acesso às informações, por parte de médicos e pacientes, e que armazenem os dados de forma segura e sigilosa na nuvem.
Além disso, no momento em que discutimos redução de custos ou novos modelos de remuneração, somos colocados diante de um dilema: o que vamos fazer com tantos dados armazenados a respeito dos nossos pacientes? Como as instituições de saúde farão a gestão dessas informações, por meio de inteligência cognitiva, para oferecer melhores serviços, atendimentos mais individualizados e com previsibilidade de custos?
A meu ver, essas são as questões sobre as quais devemos nos debruçar. E acredito que já temos alguns exemplos incipientes, inclusive no Brasil, que mostram o quanto esse movimento é promissor.
De resto, tendências como atendimentos especializados à distância – previamente intermediados por um profissional local, com acesso ao prontuário eletrônico do paciente – cirurgias robóticas feitas remotamente, rastreabilidade de medicação, uso da realidade aumentada para exames, avaliações e planejamento de cirurgias só têm a contribuir para a efetividade e a segurança da prestação de serviço em saúde.
Não podemos nos intimidar e fugir dessa nova realidade. Somos parte da solução e devemos conduzir esse desenvolvimento, antes que a tecnologia atropele o setor da saúde.
post original: https://www.linkedin.com/pulse/tecnologia-vai-atropelar-o-setor-da-sa%C3%BAde-rodrigo-lopes-/

Comentários

Veja mais

Contatos e canais de contratação nos Hospitais

MANUAL DE INDICADORES DE HOTELARIA HOSPITALAR e CADERNO DE PROCESSOS E PRÁTICAS DE HOTELARIA HOSPITALAR

Vagas disponíveis para trabalhar no Hospital Erastinho - Curitiba