O papel da tecnologia no combate ao coronavírus

Com o número de casos confirmados a cada dia, o Brasil também tem desenvolvido novas soluções para tratamento e prevenção ao coronavírus. No início do mês de março, o Ministério da Saúde disponibilizou um maior acesso da população ao coronavírus, lançando um aplicativo no qual a população pode tirar dúvidas sobre sintomas, prevenção, unidades de saúde próximas e outras informações relevantes sobre o tema. Chamado “Coronavírus – SUS”, o software ainda fornece notícias em tempo real e um formulário que avalia o risco de infecção dos usuários. 
Como essa iniciativa do governo, temos tido notícias de diversas atividades que estão sendo feitas pela sociedade civil organizada, bem como adaptação e desenvolvimento de novas tecnologias no combate à doença, desde investimentos milionários em pesquisa de novas drogas e formas de tratamento até adaptação de produtos para agilizar o dia a dia dos profissionais de saúde.
A demora no atendimento pode ser um fator altamente comprometedor na vida do paciente, desde a demora para detecção do problema, até a demora para o enfermeiro atender o paciente no leito, tanto que as campainhas nos leitos são obrigatórias por norma da ANVISA. Há no mercado diversas soluções que gerenciam a chamada de enfermagem sem fio.
Como avanço adicional, toda essa tecnologia está disponível hoje, para implantação imediata, na medida em que pode ser instalada sem a necessidade de obras e furação de paredes, uma vez que seu funcionamento prescinde de fiação, é uma tecnologia de transmissão de sinais por radiofrequência e, portanto, sem fio. 
A internet sem fio tem disponibilizado novas soluções, outro exemplo é o apontamento do cliente ou paciente de algo não conforme.  Ao lado um exemplo de uso desta tecnologia no Hospital 9 de julho que substituiu uma solução dependente de infraestrutura e hoje utiliza o potencial das internet das coisas e SMS.
A solução ilustrada ao lado, aumenta a eficiência da higienização de áreas comuns principalmente em momentos de falhas ou não conformidades.
Todos os setores da sociedade estão trabalhando para superar os desafios da epidemia e diversas tecnologias estão sendo utilizadas mundo afora para combater a pandemia da Covid-19, causada pelo novo coronavírus. Algumas delas ainda são novas e restritas a determinados países, mas estão em fase acelerada de testes e se mostram úteis para oferecer serviços em situação de isolamento. Enquanto isso, outras soluções mais comuns no mercado vêm ganhando importância em meios às precauções necessárias para conter o avanço da doença, enquanto temos notícia que drones, robôs e até carros voadores vem auxiliando hospitais, autoridades e pacientes a enfrentarem a pandemia.
O Governo do Estado de SP, está utilizando 3 robôs no Hospital das Clínicas para fazer a triagem de pacientes com suspeita de Covid-19 , resguardando profissionais de contaminação. Através do robo, o médico atende via telepresença e de acordo com o resultado da triagem, encaminha a pessoa até o destino correto, veja o vídeo a seguir:


Além disso, a baixa latência da tecnologia ajuda a operar equipamentos médicos via internet com alto grau de precisão. Isso tudo ao lado do desenvolvimento e o acesso ao tratamento prático com medicamentos eficazes contra o novo coronavírus devem fazer com que a pandemia possa realmente utilizar a tecnologia para controle e diminuição dos casos no Brasil. Vamos acreditar e fazer a nossa parte.
Este Artigo teve a colaboração dos seguintes profissionais:


Comentários

Veja mais

Contatos e canais de contratação nos Hospitais

MANUAL DE INDICADORES DE HOTELARIA HOSPITALAR e CADERNO DE PROCESSOS E PRÁTICAS DE HOTELARIA HOSPITALAR

O que é Protocolo de Manchester?