Responsabilidades do Gestor de Hotelaria Hospitalar

Republicação de artigo de Ana Augusta

Segue exatamente esse trecho da entrevista:
Revista HOSP: Quais as atribuições cabem a esse profissional?
Eu resumiria suas atribuições em: prover todo suporte necessário (dentro das áreas de sua responsabilidade) para que a equipe clínica possa desempenhar seu papel com atenção totalmente voltada ao paciente.
O que está envolvido nesse contexto?
O profissional de hotelaria hospitalar deve estar em constante análise crítica dos seus processos de trabalho, identificando oportunidades de melhoria por meio da avaliação dos indicadores e das expectativas e exigências dos seus clientes internos, externos e órgãos de regulamentação das atividades de saúde, como a ANVISA por exemplo e até instituições Certificadoras.
Tendo identificado essas oportunidades de melhoria, ele é responsável por estabelecer, definir e padronizar novas rotinas de trabalho e implantar essas novas rotinas por meio de treinamentos (que ele mesmo pode elaborar e aplicar) e ainda, garantir que o que foi definido, treinado foi efetivamente implantado, ou seja: ocorre na prática. Esse trabalho é realizado por meio de avaliação e feedback frequentes.
Por ser um profissional da liderança, ele participa das decisões relacionadas à área em conjunto com as áreas interdependentes e estabelece uma relação direta de acompanhamento e avaliação da sua equipe, bem como das empresas contratadas que estiverem sob sua responsabilidade, analisando contratos, definindo padrões mínimos para os serviços prestados e realizando auditorias internas.
Além das competências administrativas e habilidades em utilizar os recursos disponíveis com inteligência sendo um bom gestor financeiro, ele deve ser um excelente negociador: um negociar sabe estabelecer relações e acordos onde todos ganham. O gestor de hotelaria trabalha essencialmente, firmando contratos com seus clientes e prestadores, quer sejam contratos formais ou informais.
Olhando por essa perspectiva, o profissional da hotelaria deve ter bastante equilíbrio e flexibilidade para manter um bom relacionamento com todos (desde a sua equipe, as áreas internas, órgãos externos, prestadores de serviços, chefias diretas, lideranças...) sem deixar de atender suas necessidades e exigências, mas também sendo realista: não assumindo mais responsabilidades do que tem condições de atender; não sobrecarregando sua equipe; não perdendo o foco das prioridades da área e por outro lado, sem ser extremamente rígido, irredutível, que não sabe quando abrir concessões e olha somente os seus interesses.
O sucesso na gestão de hotelaria hospitalar está exatamente nessas relações de parceria. Assim como as áreas assistenciais dependem da hotelaria para prestar um serviço assistencial de excelência, a hotelaria depende da colaboração das áreas assistenciais para a gestão eficaz dos seus recursos, serviços e insumos.  

Artigo de:

Ana Augusta Blumer SalottiAna Augusta Blumer Salotti


Sócia Fundadora Hotelaria Hospitalar Comunicação e Treinamentos

Comentários

Veja mais

Contatos e canais de contratação nos Hospitais

MANUAL DE INDICADORES DE HOTELARIA HOSPITALAR e CADERNO DE PROCESSOS E PRÁTICAS DE HOTELARIA HOSPITALAR

Vagas disponíveis para trabalhar no Hospital Erastinho - Curitiba